Segundo a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), apesar do Brasil ocupar a terceira colocação no ranking entre os maiores produtores de frutas do mundo, apenas 40% da população brasileira consomem diariamente estes produtos.
Os números apontam que os homens perdem para as mulheres na adoção destes hábitos alimentares, consumindo cerca de 7% menos frutas.
Em se tratando de escolaridade, a compra de frutas é pouco frequente entre os que têm ensino fundamental e médio, sendo mais expressiva entre pessoas com nível superior completo. Já em relação aos fatores que são levados em conta no momento da compra, a pesquisa aponta que 31% dos entrevistados consideram, primeiramente, a preferência por determinada fruta, seguido pela sazonalidade (17%) e por aparência e preço – empatados como terceiros fatores (apontados por 14% dos entrevistados).
O ideal é consumir três porções de frutas no dia, consumindo uma fruta pela manhã, outra no almoço e outra no intervalo da tarde ou no jantar. Quem disse que fruta não é sobremesa?
As frutas também podem ser consumidas na forma de sucos, vitaminas e sorvetes. No entanto, é quando comemos a fruta in natura, preferencialmente com casca, que usufruímos de todos os benefícios das vitaminas, dos minerais e das fibras nelas contidas.
Pesquisas revelam que uma dieta rica em fibras pode melhorar a saúde em vários aspectos. Como não são digeridas, elas chegam ao intestino inalteradas e funcionam da seguinte forma:

  1. Atuam como “vassouras”, que carregam os resíduos alimentares e a gordura excedente na alimentação pelo intestino, baixando o nível de colesterol absorvido;
  2. Promovem regulação do tempo de trânsito intestinal, atrasando o esvaziamento gástrico, tornando mais lenta a digestão e a absorção, proporcionando sensação de saciedade;
  3. Devido a sua capacidade de absorver água, forma fezes volumosas e macias, prevenindo e/ou tratando a constipação intestinal;
  4. Servem como alimento para as bactérias boas e como fonte de energia para as células do cólon, podendo inibir o crescimento e a proliferação de células cancerígenas no intestino;
  5. Ajudam a prevenir doenças cardíacas.

Não podemos esquecer que ao aumentar a ingestão de fibras, é indispensável aumentar a ingestão de água. Sem a água, as fibras que deveriam funcionar como “vassouras”, se transformam em “lixas”, provocando cólicas abdominais e prisão de ventre.
Algumas frutas promovem a sensação de saciedade e podem reduzir o apetite por até duas horas. Isto é possível, pois suas cascas apresentam fibras solúveis, que ao absorver água formam uma espécie de gel que aumenta o tamanho do bolo alimentar. Este mesmo gel faz com que o açúcar presente nas frutas seja liberado de forma bem lenta no sangue, reduzindo o apetite. São bons exemplos: banana, abacate, pera e goiaba.
No entanto, outras frutas como a maçã, apesar de apresentarem uma boa concentração de fibras solúveis, são associadas ao aumento de apetite. Estudos mostram que a maçã possui ácido málico, que é capaz de estimular o gatilho da fome no cérebro. Isso explica a fome sentida imediatamente após o consumo de uma maçã.
Uma dica para retardar a fome é cortar a fruta em cubos ou fatias e adicionar uma granola ou grãos como chia, aveia e linhaça. Consumir junto com uma oleaginosa, como as castanhas, amêndoas ou macadâmias pode ser outra opção. Se for no horário do lanche, consuma junto com um sanduíche de queijo ou outra fonte de proteína.
Ao lado do cesto das frutas oferecidas pelo Projeto Viva Consciente, você vai encontrar um informativo com os benefícios, o valor energético e as quantidades de carboidrato, fibras, ferro, potássio e vitamina C específicos da fruta que está disponível.
Segue a tabela completa das frutas que estão sendo oferecidas no Projeto Viva Consciente, em uma porção de 100g.:

PORÇÃO DE 100G Energia Kcal CHO (g) Fibras (g) Ferro (mg) Potássio (mg) Vit. C (mg)
AMEIXA 53 14 2,4 0,1 134 7,6
BANANA MAÇÃ 87 22 2,6 0,2 264 10
BANANA NANICA 92 24 1,9 0,3 376 5,9
BANANA OURO 112 29 2,0 0,3 355 7,6
BANANA PRATA 98 26 2,0 0,4 358 22
MAÇÃ FUJI 55 15 1,4 0,1 75 2,4
MAÇÃ ARGENTINA 62 17 2,0 0,1 117 1,5
MAÇÃ VERDE 63 16 1,7 0,9 77 4,0
NECTARINA 42 11 3,0 0,2 113 3,2
MEXERICA MURCOTE 58 15 3,1 0,1 158 22
MEXERICA RIO 37 9,3 2,7 0,1 125 11
MEXERICA PONCÃ 38 9,6 0,9 0,1 131 49
PERA PARK 61 16 3,0 0,3 102 2,4
PERA WILLIANS 53 14 3,0 0,1 116 2,8
PÊSSEGO AURORA 36 9,3 1,4 0,2 124 3,3

Fontes: TACO e Guilherme Franco
 

O consumo de frutas no Brasil ainda tem muito espaço para crescer!

Vamos contribuir para elevar esse número? Sua saúde agradece!

Compartilhe este hábito com amigos e familiares.